Pular para o conteúdo principal

Palco Giratório 2009 entra em cena em SC


Mais de 200 atrações culturais acontecem gratuitamente em Florianópolis e outras sete cidades do Estado - , de 1º a 30 de setembro

O Serviço Social do Comércio SESC-SC traz à cena catarinense a 6ª edição do Festival Palco Giratório, que anualmente reúne montagens vindas de diversas partes do país, a partir de terça
(1º). Este ano, o Festival Palco Giratório promove mais de 200 atrações culturais gratuitas entre apresentações de artes cênicas, espetáculos de música, sessões de cinema, oficinas, conferências e debates. No país, serão realizados 10 Festivais este ano.

Durante todo o mês de setembro, o Palco Giratório apresenta, diariamente, uma variedade de espetáculos com grupos e companhias de oito estados - Amazonas, Paraíba, Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul - além das produções catarinenses. Criado em 1998, o projeto Palco Giratório já promoveu a circulação de 128 espetáculos, de diversos estados, em circuitos nacionais.

O Palco inicia com a peça “O Santo Guerreiro e o Herói Desajustado”, primeira experiência de teatro de rua da Companhia São Jorge de Variedades, de São Paulo. Tendo a metrópole como cenário, a peça simula um improvável encontro entre Dom Quixote e São Jorge para discutir o arquétipo do herói na atualidade. A apresentação acontece no Largo da Alfândega, terça (01), às 16 horas.

De Recife (PE), o Coletivo Angu de Sangue de Teatro traz o drama “Angu de Sangue”, adaptação para o teatro dos contos do livro com título homônimo do pernambucano Marcelino Freire. Em 10 estórias interligadas com cenas de passagem, por meio de vídeo e música, o Coletivo propõe uma reflexão sobre a realidade urbana nas grandes cidades, evocando sentimentos como a solidão, e problemáticas como o preconceito e a desigualdade social . Com direção de Marcondes Lima, a peça será apresentada no Teatro Álvaro de Carvalho, TAC, na quarta (02), às 21 horas.

Em “Mangiare”, o Grupo Pedras, do Rio, propõe um “jantar-espetáculo” em que o público é recebido pelos atores e músicos e acomodado em três grandes mesas. As cenas são entremeadas por pratos preparados e oferecidos à plateia como em um cardápio, - com entrada, prato principal e sobremesa. O espetáculo dialoga com temas relacionados à comida: seu uso como instrumento de cura, a compulsão, e a sua capacidade de evocar a memória. A apresentação será no teatro SESC Prainha, dia 15, às 21 horas.

Aldeias

As Aldeias são eventos em que espetáculos do Palco Giratório misturam-se à programação cultural das cidades visitadas, incrementando as cenas artísticas locais. Além de enriquecer as cenas artísticas locais, as aldeias estimulam a formação de público e a produção local não só de teatro e dança, mas também nas demais linguagens artísticas, artes plásticas e outras manifestações.

As Aldeias se iniciam com cortejos, quando artistas locais e artistas participantes do Palco Giratório desfilam pela cidade em abertura, e se encerram com o Overdoze, doze horas ininterruptas com as atrações do evento. Atualmente, há 25 aldeias no país que funcionam em rede, integradas e conectadas pelos circuitos do Palco Giratório.

O primeiro cortejo percorre as ruas de Chapecó abrindo a programação local, que inicia com a oficina de dança: performance enquanto signo na contemporaneidade com o artista plástico e performer Franzoi, na sala de dança do SESC, segunda (07), das 09 às 18 horas.

O calendário do Festival engloba ainda a quarta etapa do Sonora Brasil SESC – Formação de Ouvintes Musicais, em um concerto que traz um rico repertório selecionado entre composições para viola e violão de músicos de expressão na história e no cenário da música brasileira. O espetáculo acontece na Casa de Cultura São José, dia 15, às 20 horas. Em paralelo às apresentações de teatro e dança, a programação inclui ainda oficinas gratuitas, enfocando o fazer cênico nas suas mais variadas linguagens e formas de expressão.

As montagens apresentadas no Festival foram escolhidas por uma curadoria nacional e buscam sintetizar a multiplicidade de sotaques e estéticas presentes na cena contemporânea brasileira. O encerramento acontece dia 30, com o espetáculo “O Nome Científico da Formiga”, de Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira. Partindo da colagem como método de criação, a obra discute e questiona o fazer artístico, fala de liberdade e brinca com a percepção do público. O espetáculo utiliza recursos cênicos como a vídeo-projeção no processo de criação. No Teatro Álvaro de Carvalho, TAC, às 21 horas.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…