Pular para o conteúdo principal

Casa da Câmara e Cadeia está sendo restaurada.



Prédio histórico da Casa da Câmara e Cadeia, localizado na Praça XV de Novembro.

A Prefeitura da Capital, através do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis, está resgatando a história da cidade. O motivo é a restauração do Palácio Dias Velho ou antiga casa da Câmara e Cadeia, localizado na Praça XV de Novembro.

Um dos trabalhos ocorreu a limpeza geral interna e externa onde foram retirados carpetes, moveis abandonados e fiação elétrica para impedir o risco de incêndio. A cobertura do prédio será recuperada para evitar infiltrações. “Constatamos que a edificação está deteriorada. Temos problemas tanto na cobertura atacada por cupins e brocas, quanto nas alterações estruturais da construção”, explicou a arquiteta do IPUF, Cristina Piazza.
A próxima fase será o levantamento arqueológico no subsolo com objetivo de buscar informações sobre a localização das celas. “Não temos a localização exata da cadeia, desta forma será feita uma prospecção arqueológica que vai iniciar agora em novembro”, completou a arquiteta.
Já nas primeiras análises realizadas pelos técnicos do IPUF, diversos afrescos foram identificados sob diversas camadas de tinta. Outros quatro pontos foram identificados, a partir de documentos históricos, com o objetivo de encontrar elementos que ajudem a contar a história da cidade. Ao final, está planejada a reforma completa do prédio que poderá ser utilizado novamente pela população de Florianópolis.
“Este prédio é de grande importância histórica para o município e sua restauração é um pedido de todos os florianópolitanos que agora começa a tomar forma”, comentou o presidente do IPUF, Átila Rocha. Segundo ele, o prédio histórico da Câmara e Cadeia é de grande valor no contexto político-social da cidade, pois além de estar estritamente vinculado a vida política de nossa Capital, é uma das mais importantes edificações da arquitetura civil do século XVIII. O Sobrado tem arquitetura luso-brasileira, foi construído entre 1771 e 1778 e custou sete contos e novecentos mil réis.
Ao passar dos anos o local também foi sede da Assembléia Legislativa, o Tribunal do Júri, o Arquivo Histórico do Município, o gabinete do prefeito e a Câmara Municipal. No início do século 20 a cadeia foi desativada após e o edifício sofreu uma reforma adquirindo as atuais características.

Fonte: IPUF

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…