Pular para o conteúdo principal

Artista usa fios de computador para fazer esculturas.

Proprietária da sua própria marca de roupas e acessórios gosta de aproximar o mundo natural do tecnológico

A artista e designer norte-americana Kasey McMahon resolveu criar um auto-retrato de forma um pouco diferente, chamado Connected. Ela criou uma escultura utilizando cabeamento de computadores, como cabos de rede e outros tipos de fiação interna dos computadores pessoais e ferro.
Kasey trabalha em Los Angeles, nos Estados Unidos, e é artista multimídia e designer. Seu trabalho artístico busca unir as características da natureza com o mundo tecnológico, e já foi exposto em várias galerias pelo país. Ela também é fundadora da marca Psycho Girlfriend, criada em 2004 e criam peças de roupas e acessórios utilizando materiais não-convencionais, como ferros, tubos e plásticos e materiais reciclados.

Via redação do: Pequenas Empresas & Grandes negócios

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…