Pular para o conteúdo principal

O Fantásma da Máscara.

A peça é uma adaptação infantil do clássico O Fantasma da Ópera de Gaston Louis Alfred Leroux (1868 - 1927). Nesta versão brasileira do musical, a cantora Belinha recebe de presente de aniversário uma gaiola e um livro que pertenceram a um misterioso maestro. Durante sua festa, as luzes se apagam e a jovem desaparece. Em seguida, uma série de pistas desafia o público a descobrir o paradeiro da cantora sequestrada e revelar a identidade secreta de O Fantasma da Máscara. A direção é de Rosi Campos, que, entre diversos trabalhos no teatro, cinema e televisão, deu vida à inesquecível Bruxa Morgana do Castelo Rá Tim Bum.

Local: Teatro Pedro Ivo - Centro Administrativo do Governo do Estado de Santa Catarina - Rodovia SC - 401, 4600 / Km 05 - Monte Verde.

Horário: Sábado às 17h e domingo às 16h e 18h30.

Ingresso: R$ 50 inteira e R$ 25 meia-entrada.

Pontos de venda: No local, na bilheteria do Teatro Álvaro de Carvalho, no quiosque Blueticket do Beiramar Shopping e site Blueticket.

Informações: meneghimpromocoes.com.br.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…