Pular para o conteúdo principal

FOBIA SOCIAL...

























por Rafael Cordeiro Bombazar

O cotidiano de trabalho de muitas empresas e instituições é inevitável à convivência com pessoas de todos os tipos de estruturas psíquicas, inclusive aquelas que parecem ser zeradas de bom senso, contrariando desse modo à crença de Descartes. Especialistas ocupando temporariamente postos tecnoburocráticos é um perigo para os demais que estão fora do poder. Porque em sua visão estreita, eles se sentem autorizados a desqualificar, desconsiderar, enfim, se recusam a compreender as pessoas, porque, no fundo ,os chefes, os supervisores, os subordinados dos subordinados, deixaram de ser pessoas para se tornar uma espécie de ente transcendental, cujo papel não passa de reles escravos de um sistema contínuo infinito, são reduzidos e controlados todos os momentos, de tempo em tempo?? há sim para pausas, minutos contados com conta gota, peééééééém acabou, Agora volte para seu posto, sua jaula, sua gaiola, seu cantinho, sua mesa, sua tela... Robóticamente tudo tende a ser ergométricamente também separado, medido, estudado, não com a função de obter resultados perfeitos, mas deliberar as tarefas em função do lucro, de hora em hora nossa galinha enche mais, o papo. Visto que este ser transcedental, não é um ser que tem livre arbítrio, não sabe fazer escolhas, e pobre coitado , aposentado então nem levanta mais do sofá, sua casa já aderiu os aspectos lineares, lisos, das paredes e bancadas do antigo escritório, tudo é facilitado com roldanas e engrenagens eletrônicas, automáticas, deixando ainda mais vádio, e preguiçoso, gordo? quem eu? não malho na academia particular, contrato personal treinner, tudo privativo e meu, ou seja, cada dia mais introspectivo e só.A alimentação é toda balanceada, medida também.A maioria segundo estudioso são novos seres mais fora de uma escala evolutiva, considero que são ainda mais metálicos, lisos, inflexíveis, duros, plastificados, artíficiais, DOENTES? Seguem apenas as tendências da MOD? Somos uma montanha de aparelhos e objetos reflexivos.A casa, o automóvel, os bens e as jóias tudo brilham. A cidade continua cinza, fruto de um trabalho pobre e desorganizado.Esforço? não sei seu significado.Natural? natureza? onde?
Tentamos parecer o que não somos e buscamos o mais natural ser orgânico possível , mesmo assim com tanto esforço ainda produzimos muito lixo e materiais tóxicos e não -biodegradáveis, não naturais, não reais. levamos uma vida regrada, cheia de rotinas maléficas...Não espere a cura da fobia, comecea trasnformar essa tensão em energia boa em você.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…