Pular para o conteúdo principal

PATINS SÃO MELHORES DO QUE CORRIDAS?






















 Crédito da foto Comstock / Getty Images

SPORT
por Rafael Cordeiro Bombazar


Patins são conhecidos desde de 1700, mas sua fama ganhou popularidade em todo o mundo em meados dos anos 1900. Os jogadores de hóquei foram os primeiros a usar patins como uma ferramenta condicionante para exercícios físicos, mas logo pegou com outros atletas e profissionais, juntamente com os entusiastas do fitness para a queima de calorias e exercícios de fortalecimento muscular. Quando comparado com outras formas de aptidão, como a corrida, patinação é tão eficaz em quase todas as categorias.

QUEIMANDO CALORIAS

Em média, uma pessoa que anda de patins em corrida queima aproximadamente a mesma quantidade de calorias por hora de uma pessoa a pé em corrida. Por exemplo bem grosseiro, uma pessoa de 160 kg com patins queimaria cerca de 986 calorias hora, enquanto essa mesma pessoa queimaria a pé cerca de 913 calorias em execução a passos lentos. Você pode aumentar o número médio de calorias queimadas por hora, dependendo do esforço físico.Um exemplo bom é a patinação em subidas ou em um ritmo mais rápido...

BENEFÍCIOS AERÓBICOS

Com relação a capacidade das costas, com o peso nas rodas de patins, os benefícios aeróbicos de Patins não são tão eficientes quanto o correr. No entanto, patins ainda são o melhor exercício aeróbico do que ciclismo. Semelhante a queima de calorias, você pode aumentar os benefícios aeróbicos, patinando em aclives e subidas ou em um ritmo mais rápido. Você também pode criar resistência por patinar em um ritmo lento e constante de uma distância maior, fortalescendo e definindo seus músculos.

O movimento de lado a lado necessário para patins resulta em um melhor treino de fortalecimento muscular do que correr. Este movimento natural incorpora quase todos os grupos musculares do corpo inferior, incluindo a parte interna da coxa e os músculos glúteos. Você também pode fortalecer os isquiotibiais, quadríceps e panturrilhas, alternando entre a frente e para trás patinação. Balançando os braços durante o movimento de patinação também fortalece os braços e as centrais. Patins por cerca de 20 a 30 minutos por dia pode fortalecer estes grupos musculares e as articulações adjacentes, ligamentos e tendões.

SOBRE IMPACTOS

Patins são geralmente mais seguros sobre as articulações do que correr. Na verdade, patins fornece cerca de 50 por cento menos de impacto para as articulações, quando comparado à execução de uma corrida, de acordo com a Universidade de Massachusetts. Como resultado de pesquisa, uma pessoa com lesões de joelho ou quadril pode usar patins de baixo impacto em uma rotina de exercícios de fortalecimento muscular. Sempre patinar em superfícies lisas e evitar fazer paradas bruscas, curvas ou torções para reduzir o impacto sobre as articulações.

então para concluir podemos dizer que quem corre de roller e\ou patins se exercita mais, perde sim muito mais calorias do que aquele atleta que corre a pé. O esforço é menor e a queima de caloria maior em relação ao esporte com rodinhas.

Bom exercício.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…