Pular para o conteúdo principal

Nepotismo? em SANTA CATARINA...



O governador do estado de Santa Catarina Raimundo Colombo (PSD), coloca o sobrinho filho do ex-prefeito de Lages Décio Ribeiro, o jovem Gabriel Ribeiro no cargo de secretário regional da Secretaria de Desenvolvimento Regional de Lages, na Serra Catarinense.

Mais um no "cabide de emprego" como afirmara o ex-senador e atual governador de Santa Catarina Raimundo Colombo (PSD) durante véspera das eleições da reeleição do ex-governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), referindo-se às 36 Secretarias de Desenvolvimento Regional espalhadas em Santa Catarina e que dão despesas milionárias ao Governo do Estado.

Os verdadeiros "cabides de emprego" agora servem também para abrigar sobrinhos de políticos; filhos de políticos e apadrinhados de políticos. Quem espera ver uma renovação no modo de se praticar política-administrativa no Brasil e em especial em Santa Catarina, vai ter que esperar talvez séculos.

Nova polêmica na região serrana, Jurandi Agustini deixa o cargo de Secretário de Desenvolvimento Regional de Lages. Assumirá em seu lugar Gabriel Ribeiro, sobrinho de Raimundo Colombo e candidato a deputado estadual pelo PSD em 2014.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…