Pular para o conteúdo principal

PROFESSORA AFIRMA QUE APOSENTADORIA ESPECIAL PARA SUA CATEGORIA É UMA FARSA!

"A caminho do INSS, o motorista do táxi me perguntou se ia para a perícia. Ao responder-lhe que solicitaria minha aposentadoria, ele retrucou: "Nossa, dona, é a primeira professora que conheço que não tem bursite". Como se sabe, há dois motivos para se aposentar, completar os anos estipulados em lei para exercício de atividade ou por invalidez. O meu motivo é o primeiro felizmente. Sem bursite, sem calo nas cordas vocais, sem tendinite, também sem aparentes problemas psiquiátricos. Ou seja, sem motivos para uma aposentadoria por invalidez, o que me renderia um pouco mais de remuneração. 

E se até hoje tinha algum estímulo para permanecer na profissão, quando se aproxima a aposentadoria o cálculo da decepção é proporcional ao tal do fator previdenciário. Tarde demais. Impossível voltar atrás. Apesar de pagar o teto máximo para o INSS durante todo o tempo necessário, descubro que terei salário reduzido em 45%. Pior ainda foi ler o que uma ministra, ex-professora, afirmou a esse respeito: "Não há, da parte do governo, nenhuma intenção no fim puro e simples do fator previdenciário porque isso causaria um impacto que não teria sustentabilidade". Logo, a aposentadoria para professores é especial para quem? É só mais uma farsa. 

Paguei pelo que não vou receber. Afinal, para ter direito aos 100% teria que trabalhar até os 70 anos aproximadamente. Resumindo, pouco importa a profissão, quase todos acabamos na vala comum: a do desrespeito. Enfim, restam os belos versos de Candeia para acalentar um pouco meu sofrimento: "Deixe me ir, preciso andar, vou por aí a procurar, rir pra não chorar". Ou ainda, para os mais bem-humorados a apelativa frase de Miguel Falabella: "Por favor, salvem a professorinha". Doce ilusão!"

Comentários

Anônimo disse…
O Fim do Fator Previdenciário constitui-se em uma das principais reivindicações dos trabalhadores brasileiros.

Conheça as razões:
O Fator Previdenciário faz com que os trabalhadores mais humildes, que iniciam cedo no mercado de trabalho, tenham que contribuir por mais tempo.
O Fator Previdenciário diminui muito o valor das aposentadorias.
O Fator Previdenciário causa desilusão pós-aposentadoria.

Sugestões de Alternativas ao Fator Previdenciário.
O ideal seria conceder aumento real aos aposentados, substituir o Fator Previdenciário pelo Fator Incentivo* e elevar o tempo mínimo de contribuição para os novos segurados.
*facultativo aos que completam o tempo de contribuição e desejarem postergar a aposentadoria, recebendo por isto um bônus para cada ano a mais de contribuição.
Jorge Moacyr, Florianópolis disse…
Alternativa B)
Soma da Idade com o Tempo de Contribuição:
80 mulher/85 homem = redução de 10% no valor da aposentadoria.
85 mulher/90 homem = aposentadoria integral.
90 mulher/95 homem = acréscimo de 10% no valor da aposentadoria.

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…