Pular para o conteúdo principal

Referência nos tatames

Catarinense conquista o título de melhor do mundo em campeonato de Taekwondo

A atleta catarinense Nicole Librizzi está de volta a Florianópolis com mais uma conquista importante para a sua carreira. Com apenas 23 anos, a faixa preta “4˚ dan” de Taekwondo conquistou, pela primeira vez, o título de "melhor do mundo" no Campeonato Mundial realizado em Litte Rock, em Arkansas, nos Estados Unidos. O evento, realizado entre 12 e 15 de julho, reuniu a elite do Taekwondo, contando neste campeonato com a participação de atletas de 12 países.

Nicole começou no esporte ainda criança, aos 9 anos, e de lá pra cá vem colecionando títulos: além de ser tetracampeã panamericana, foi por sete vezes campeã brasileira (sendo a primeira vez aos 13 anos de idade), levando o nome do país para os tatames internacionais. Além das competições, a jovem ainda dedica-se à formação de atletas-cidadãos, por meio das aulas que ministra em sua academia especializada em Taekwondo, a Premium Martial Arts, em Florianópolis: “Quero formar campeões e faixas pretas para a vida, não só em competições”, diz.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FOTOMONTAGEM FLORIANÓPOLIS FRIA NO INVERNO...

FLORIANÓPOLIS TÁ FRIA...

Preciso me esquentar logo e como diz a Marilyn Monroe "Ter uma carreira é maravilhoso, mas ela não pode te aquecer numa noite fria." ... enfim ai que frio GOSTOSO.
SÓ QUE SOZINHO, AI AI...

FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO.

O Festival Palco Giratório Sesc traz a Florianópolis 30 dias de programação intensa e gratuita, com apresentações de teatro, dança, circo, intervenções urbanas, oficinas e arte. Confira a agenda completa e aproveite: www.sesc-sc.com.br/palcogiratorio

ACONTECENDO AGORA!

    :A LUVA E A PEDRA
Espetáculo em repertório desde 2013 Concepção: A Luva e a Pedra é um texto de Quiqué Fernadez, autor e ator Argentino radicado em Madrid. O grupo entrou em contato com o autor e com sua montagem do referido espetáculo em 2011, quando participou do Festival CASA, em Londres. O interesse do grupo sobre o texto surgiu principalmente por se tratar de um trabalho que exigia técnica e fisicamente o trabalho de ator. O diretor e ator da montagem do Teatro em Trâmite, André Francisco, procurava um texto vigoroso e ao mesmo tempo capaz de provocar um trabalho técnico detalhado de interpretação naturalista – proposta expressa na pesquisa que o grupo realizava em 2013. A Luva e a Pedra se distinguia porque propõe a interpretação pelo ator do monólogo de alguns personagens, proposta que diversificava o trabalho do ator em uso do corpo e da voz. Apesar de permitir o acesso às técnicas do teatro naturalista de Stanislávski, o texto provocava uma abertura do leq…